Odontologia

Postado em:28/06/2017

Fonte: Odontologia de Grupo em Revista Nº 16 – Camila Pupo

Image Description

Tratamento fino

Lentes de contato para os olhos, sim; mas e para os dentes?

As técnicas para ter dentes perfeitos, brancos e alinhados estão evoluindo cada vez mais. Prova disso é a lente de contato dental, estrutura feita de uma camada bem fina de porcelana resistente que é aplicada na parte frontal do dente. A técnica elimina as pequenas imperfeições, como manchas, irregularidades e dentição separada, além de alinhar e até mudar a cor dela, tudo de acordo com a preferência do paciente para ter um sorriso mais uniforme e harmônico. Trata-se de um procedimento estético, que ganha adeptos a cada dia.

Segundo Mauro Piragibe Júnior, dentista e consultor científico da ABO – Associação Brasileira de Odontologia, as facetas convencionais têm em média 1 mm de espessura e requerem um desgaste superficial maior do dente, justamente para compensar a porcelana aplicada. Já as lentes de contato são mais finas, elas têm em torno de 0,03 a 0,05 mm.

“A técnica é pouco invasiva, portanto altamente conservadora das estruturas dentais naturais, pois o dentista não precisa desgastar os dentes dos pacientes com brocas, mas somente colocar as lentes, preservando assim ao máximo sua estrutura”, explica Milton Raposo Júnior, dentista, protesista, implantodontista formado pelo NEO – Núcleo de Estudos Odontológicos e mestrando em Dor Orofacial na Faculdade São Leopoldo Mandic.

As lentes são coladas sobre a superfície dentária com um cimento próprio, como se fosse uma unha postiça, exemplifica Piragibe. Contudo, é importante que o cliente seja avaliado pelo profissional especialista na área (prótese ou dentística), pois não é todo mundo que pode utilizar o procedimento, como os pacientes com apinhamentos (dentes tortos) e bruxismo.

Já para a colocação das facetas tradicionais, é preciso um maior desgaste do dente, do contrário, a lâmina pode criar um volume incômodo na boca. Além disso, nessa raspagem há o risco de atingir a dentina, causando dor, o que justifica o uso da anestesia nesse procedimento. Feita a avaliação e a posterior aprovação do tratamento, o paciente precisará ter alguns cuidados, como não roer unha ou morder ponta de caneta, pois estas práticas podem danificar a cerâmica. Além disso, é obrigatório o uso do fio dental todos os dias.

Segundo Raposo, a durabilidade das lentes varia de 5 a 10 anos, sendo necessário que o cliente realize consultas anuais ao dentista para verificar a preservação e o estado das lentes. Piragibe explica que, em alguns casos, a lente de contato dental pode ser usada para a correção do sorriso gengival. A técnica prevê que a gengiva do paciente seja cortada, expondo automaticamente mais estrutura dentária, antes escondida, e então, após o período de cicatrização, a lente é cimentada na região, resultando em um dente maior e, consequentemente, menos gengiva no sorriso.

É preciso ressaltar que a técnica não é aplicada para todos os casos de manchamento e imperfeições. Para os dentes mais escurecidos, as lentes de contatos são muito finas e não conseguem mascarar isto. Nessas situações o ideal é o uso da faceta tradicional.

Vale lembrar que as lentes não evitam problemas posteriores nos dentes, como as cáries, por exemplo; contudo, havendo o surgimento, o tratamento pode ser feito normalmente, sem danificar as lentes.

Voltar



Fale Conosco




Rua 13 de Maio, 1540 - Bela Vista - 01327-002 - São Paulo
sinog.secretaria@sinog.com.br
+55 11 3289-7299