Odontologia

Postado em:15/01/2009

Fonte: Revista Medicina Social - Camila Pupo

Image Description

Inimiga do sorriso

A doença odontológica que mais cresce no mundo é provocada pela ação de ácidos

O que você prefere para matar sua sede? Um copo d’água, suco ou refrigerante? Se a resposta for a segunda ou a terceira opção, cuidado, você pode ser uma vítima da erosão ácida.

A enfermidade é um tipo de lesão não cariosa que se desenvolve em conseqüência do desgaste dentário causado pelo contato com ácidos presentes nos alimentos e também no organismo, como o suco gástrico, que pode entrar em contato com os dentes através do vômito. Os principais sintomas são: hipersensibilidade dental ao frio e calor, abaulamento da superfície e perda do brilho dos dentes.

“O consumo exagerado de sucos com acidez elevada ou mesmo o consumo elevado de isotônicos que contêm alta concentração de ácidos fosfóricos pode aumentar significativamente a presença da erosão ácida”, alerta Oscar Razuk, cirurgião-dentista e professor da Fundação de Apoio a Estudos na Área da Saúde – Fapes.

Em contrapartida, a erosão ácida pode ser considerada efeito colateral da busca de uma alimentação mais sadia, pois há muitos ácidos escondidos na dieta saudável moderna que é rica em frutas e sucos cítricos, saladas com vinagre, além de conter vinhos e refrigerantes que, mesmo nas versões diet e light, têm alto teor de acidez.

“Um paciente nos procurou dizendo da preocupação com a sensibilidade de seus dentes. Ao examiná-lo, detectamos desgastes excessivos nas superfícies dos elementos, como se fossem ilhas ao redor das restaurações, e verificamos que o paciente tinha o hábito de tomar suco de limão inúmeras vezes ao dia”, conta Roseane Borges, cirurgiã-dentista especialista em prótese dentária.

Alimentos como tomate, uva, maçã, damasco, excesso de vinagre na salada e bebidas como vinhos, sucos de limão, abacaxi, laranja, bebidas gaseificadas e isotônicas devem ser evitadas, pois contêm um elevado índice de acidez em sua composição, tornando-os prejudiciais à saúde bucal.

Entretanto, esse problema não é causado apenas por agentes externos, pois, segundo Roberto Vianna, presidente da Federação Dentária Internacional (FDI) e pesquisador do Departamento de Avaliação de Produtos Odontológicos da ABO Nacional – DAPO, a ingestão de alimentos ácidos tem ligação direta com o desenvolvimento de lesões de erosão dental, mas há também os casos mais graves em que a doença está associada a distúrbios alimentares, como a anorexia e a bulimia, e o dentista deve estar ciente disso, pois ambas têm como característica fundamental a manutenção voluntária do peso corporal por meio da indução de vômitos.

“A perda de peso é o primeiro sintoma em ambos os distúrbios, os quais apresentam também efeitos sobre a saúde bucal, como a erosão dental, cabendo ao cirurgião-dentista o conhecimento dessas doenças, suas causas e efeitos, para que se possa diagnosticar e conduzir os procedimentos adequados”, explica Vianna.

O tratamento deve começar com a eliminação dos agentes causadores, seguida do uso de cremes dentais adequados para o controle de sensibilidade. Se houver perda da forma e função dos dentes afetados, é preciso fazer restaurações e, em casos extremos, o prejuízo pode levar à extração do dente. A erosão por acidez é uma das ameaças mais importantes à saúde dos dentes depois das cáries, e, por isso, o melhor é saber identificar o problema, tratá-lo e preveni-lo.

Além de evitar alimentos e bebidas com alto teor de acidez, há outros cuidados que podem fazer toda a diferença na hora de evitar o desgaste, como: tomar refrigerantes ou sucos cítricos com canudo e sem bochechar; não mastigar frutas por períodos prolongados; mascar chiclete ou pastilha sem açúcar depois da refeição para estimular a salivação que neutraliza a acidez e remineraliza o esmalte; usar escova de cerdas macias; utilizar creme dental de baixa abrasividade e com alta concentração de flúor, além de evitar escovar os dentes logo após o consumo de alimentos ácidos, pois a estrutura do esmalte já está abalada e isso pode intensificar a erosão.

Com a chegada do calor, o consumo de bebidas aumenta; portanto, nessas férias, seja no bar, na lanchonete, no restaurante ou na praia, prefira um copo d’água e não deixe que a erosão ácida acabe com o seu verão e com o seu sorriso.

Voltar



Fale Conosco




Rua 13 de Maio, 1540 - Bela Vista - 01327-002 - São Paulo
sinog.secretaria@sinog.com.br
+55 11 3289-7299