Odontologia

Postado em:02/08/2017

Fonte: Odontologia de Grupo em Revista Nº 4 – Camila Pupo

Image Description

Adeus sorriso amarelo

Ter dentes brancos e perfeitos, como aqueles que aparecem nos comerciais, novelas e filmes, tornou-se o sonho de muitas pessoas e, por que não, a mais nova moda.

O tratamento estético odontológico ainda desperta dúvidas

Ter dentes brancos e perfeitos, como aqueles que aparecem nos comerciais, novelas e filmes, tornou-se o sonho de muitas pessoas e, por que não, a mais nova moda.

O tratamento que promete proporcionar esse sorriso é o clareamento dental. Com o passar do tempo, os dentes sofrem  alterações  fisiológicas, ficando mais amarelados por conta da deposição de minerais na dentina.

Além disso, outros fatores também podem colaborar para o escurecimento dos dentes, como alimentação e ingestão de bebidas e comidas com muito corante, tais como café, vinho tinto, molhos e condimentos, fora o cigarro, que contém corantes amarelos capazes de pigmentar  a superfície dental.

Segundo Marco Masioli, cirurgião-dentista e consultor em estética da ABO – Associação Brasileira de Odontologia, o clareamento dental age na “intimidade”  do  dente.  Os materiais clareadores  penetram  no esmalte e, na dentina, liberam oxigênio que, por sua vez, “quebra” as moléculas dos pigmentos causadores das manchas, deixando as moléculas menores e mais claras. Há dois métodos de clareamento, o caseiro e o a laser, como explica Sidnei Goldman, especialista em implantes dentários: “No tratamento caseiro o paciente leva  um  gel,  à base de peróxido, e uma moldeirinha para casa. O tratamento consiste na aplicação do gel na moldeira que será utilizada todas as noites, até que os dentes fiquem brancos. Já o clareamento a laser é feito no consultório e com um resultado imediato. Essa técnica é mais moderna e utiliza um gel, também à base de peróxido, sobre a superfície externa dos dentes e a aplicação do laser sobre eles, ativando a liberação de moléculas de oxigênio, que penetram na estrutura dentária, eliminando as manchas”.

A especialista em clareamento dental Bianca Vimercati explica que ambos os métodos são eficazes, podendo variar o tempo de tratamento e o custo. “O clareamento caseiro supervisionado dura, em média, de três a quatro semanas e o a laser leva de três a quatro sessões, sendo uma por semana, realizadas no consultório. Com relação ao custo, o primeiro é geralmente mais barato, pois o tempo clínico gasto pelo dentista é reduzido e a maior parte do tratamento é feita em  casa. Demora  um  pouco  mais para se obter o resultado desejado, mas não perde para nenhum outro em termos de durabilidade.”

O clareamento dental é contraindicado para pacientes alérgicos ao peróxido de hidrogênio ou a qualquer outro componente do produto. Além disso, não é capaz de clarear de forma satisfatória dentes  manchados  por tetraciclina,  substância  encontrada em antibióticos; por fluorose severa, que é o escurecimento causado por excesso de flúor; e manchas nas cores azul, marrom ou cinza. “Outro fator importante é que as restaurações ou próteses já  existentes  não  mudam de cor com o tratamento clareador, assim, o paciente poderá ter dentes com cores diferentes, o que se torna esteticamente  desagradável”,  esclarece Masioli. Além de o clareamento dentário não ser uma solução milagrosa capaz de deixar qualquer dente mais branco, é preciso também ressaltar que ele não é um tratamento definitivo. Segundo Vimercati, clarear os  dentes  não  significa  ficar  livre de manchas, pois, com o passar do tempo, isso acontece, independentemente de tê-los clareados ou não.

O clareamento  dental  tem  se tornado  cada  vez  mais  popular  e, com  isso,  muitas  pessoas  acabam usando  produtos  clareadores  sem a  orientação  e  supervisão  de  um profissional. Estes tratamentos caseiros não funcionam bem, pois as moldeiras não são personalizadas e, por isso, não se adaptam aos dentes do paciente. Consequentemente, o gel clareador não entra em contato com as superfícies que devem ser clareadas, não chegando ao resultado esperado.  Além disso, esse método pode ser prejudicial.

De acordo com Masioli, o gel pode escorrer para áreas de tecido mole, isto é, gengiva e língua, causando feridas, além de ter grande chance de acarretar sensibilidade dental. Por isso, todo clareamento dental necessita de acompanhamento e supervisão, e só o dentista pode fazer um diagnóstico correto do tipo de manchamento.

Voltar



Fale Conosco




Rua 13 de Maio, 1540 - Bela Vista - 01327-002 - São Paulo
sinog.secretaria@sinog.com.br
+55 11 3289-7299